Header Ads

Carreira Pública x Iniciativa Privada: qual escolher?






Iniciativa Privada

O mercado de trabalho está cada vez mais acirrado, haja vista que o acesso ao Ensino Superior foi facilitado, gerando mais pessoas aptas a disputar as melhores oportunidades de emprego. 

Mas será que todos estão dispostos a encarar o risco de empreender ou de trabalhar em empresas que visam avidamente ao lucro? Neste ambiente, não há estabilidade nem calmaria.

O mercado de trabalho se pauta essencialmente pela livre concorrência e isso gera insegurança e risco. Há quem se sinta altamente estimulado para enfrentar esta constante concorrência, pois o risco pode trazer grandes ganhos e/ou grandes perdas.

A política salarial é definida no contrato de trabalho entre empregador e empregado ou em acordos coletivos, envolvendo a participação de sindicatos. Assim a remuneração pode sofrer muitas variações na iniciativa privada.

Especialmente no campo jurídico, podemos exemplificar isto através da figura do advogado, que é um profissional altamente exposto aos altos e baixos do mercado. Vemos advogados que ganham verdadeiras fortunas. Outros que traçam estratégias para alcançar o sucesso, como o caso da jovem advogada, Drª Marcela: 



Contudo, há aqueles que ganham R$ 35,00 (trinta e cinco reais) por audiência. Por audiência? Isso mesmo:



Carreira Pública




Você alguma vez na vida deve ter ouvido falar na palavra "concurseiro". Pois é, essa figura se trata daquelas pessoas que se tornam estudantes profissionais voltados para concursos públicos. E o número deles tem crescido nos últimos anos. Há pessoas que se preparam durante anos e até décadas para determinados concursos.

No serviço público, o que é mais almejado é a famosa estabilidade, a qual é adquirida após 03 (três) anos de efetivo exercício no cargo público. O servidor estável somente pode perder o cargo em caso de cometimento de faltas graves, apuradas em processos administrativos e/ou judiciais. Esta é a regra.

Contudo, o serviço público também tem seus percalços. Lá, os risco são mínimos, tanto de ganhar como de perder. Embora haja ocorrido uma reformulação constitucional, buscando-se uma gestão pública mais eficiente, ainda não há comparação com o que ocorre na iniciativa privada. Então, com a estabilidade, o servidor tende a se sentir desmotivado, por não "haver concorrência", nem expectativa de ganhos, salvo algumas exceções, como no caso dos empregados públicos. 

A remuneração no serviço público também não sofre variações consideráveis, haja vista que depende de lei para seu reajuste. Nenhum servidor público pode ganhar mais que um Ministro do Supremo Tribunal Federal, que percebe a quantia de R$ 33.700,00, este é o teto máximo do serviço público.

As remunerações pagas variam de acordo com a complexidade, nível e responsabilidade do cargo, sendo que não podem ser inferiores a um salário mínimo, conforme a Constituição Federal.


Escolha

Somente o autoconhecimento pode orientar o futuro profissional em sua carreira, para que este não sofra com frustrações e fracassos desnecessários. 


Forte abraço.

Paciência e Persistência!!!